6 de dezembro de 2019

ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE FALHAS E OTIMIZAÇÃO DE PROCESSOS

Idealizador e planejador de obras ou espaços arquitetônicos, o arquiteto que conhecemos não apenas passa anos estudando e aperfeiçoando seus traços e cálculos para desenvolver tudo de forma perfeita, como também precisa permanecer em constante atualização durante todo o restante de sua vida profissional.

Surge no mercado um profissional especializado em um outro tipo de arquitetura. Assim como o arquiteto “tradicional”, este profissional também estuda e se atualiza quase que diariamente, mas não para saber mais sobre croquis, alicerces, elevações e marquises, e sim para atender todo o tipo de demanda que estiver relacionado à tecnologia da informação. Aqui, lhe apresentamos o arquiteto de TI.

AFINAL, O QUE É A ARQUITETURA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO?

Empresas ao redor do mundo buscam pelo trabalho de arquitetura da tecnologia da informação para garantir que a tecnologia (aplicada em processos e presente até mesmo na infraestrutura física) atenda às suas demandas e necessidades e ajude-as a atingir objetivos e crescer no mercado. Com base nas demandas de negócio da empresa, a arquitetura da informação se responsabiliza pelo planejamento, desenvolvimento e monitoramento de soluções tecnológicas que podem variar de implantação de novos sistemas até segurança, armazenamento e manutenção de dados. Enquanto o arquiteto tradicional planeja construções dos mais variados tipos, o arquiteto de TI planeja estratégias relacionadas à tecnologia em todos os aspectos, em busca da melhor organização estrutural e do melhor gerenciamento e funcionamento especificamente de empresas.

POR QUE ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO?

Considerada como o processo estrutural da tecnologia da informação, a arquitetura de TI deve ser implantada a partir de uma determinada visão de mercado e só funciona adequadamente quando alinhada com os princípios da empresa na qual é aplicada. Para o alinhamento, padrões e rotinas passam a ser adaptados de acordo com a política interno e, a partir dele, a eficácia do sistema se torna maior e as falhas são quase totalmente (ou totalmente) eliminadas. É importante lembrar: equipamentos e sistemas também fazem parte da área estrutural da empresa. Estes itens também são analisados pelo arquiteto de TI. Passam por análise, tanto os equipamentos e sistemas já existentes e em utilização, quanto possíveis novidades a ser inseridas.

Desenvolver um projeto de arquitetura da informação possibilita à empresa:

– alinhamento de estratégias de negócios ao uso de recursos tecnológicos;

– desenvolvimento de métricas;

– melhor performance e desempenho de todos os setores;

– garantia de continuidade de sistemas e de disponibilidade;

– distribuição de recursos financeiros mais adequada.

ANTES DE PLANEJAR, PRIORIZE A INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS

Antes da contratação de uma consultoria para o projeto de arquitetura da informação, é importante lembrar que esta tecnologia não mais se limita a apenas um setor dentro da empresa, mas está presente em todo o funcionamento do negócio e requer, inclusive, a integração de sistemas. Ter sistemas que conversam entre si e reconhecer que informações atravessam sua empresa de ponta a ponta é o passo inicial para a abertura à arquitetura e suas consequências: união de ferramentas e funções; integração de processos; otimização de controle; redução de prazos; inserção de novos equipamentos e procedimentos; modernização da empresa; ampliação da segurança de dados e redução de gastos com gestão empresarial.

Leave your comment

Please enter your name.

19 + cinco =

Please enter comment.

Entre em contato conosco !

[wpforms id='998' title='false']